sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Servidores Públicos de Cabo Frio em GREVE !!!




CABO FRIO — Cerca de oito mil servidores públicos de Cabo Frio decidiram entrar em greve desde a meia-noite de sexta-feira. Com isso, ficam prejudicados os serviços de educação, saúde, recolhimento de lixo e limpeza públicas principalmente. O motivo da paralisação é a demora dos vereadores em aprovar a Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2013 e o Plano de Cargos e Salários encaminhado à Câmara em setembro deste ano. O orçamento de Cabo Frio é de R$ 744.466.350, mas pode aumentar conforme aumento da receita.

— O orçamento pode chegar a R$ 1 bilhão para o próximo prefeito administrar — disse o prefeito Marquinho Mendes, que conversou com manifestantes na frente da Câmara.

A sessão desta quinta-feira, marcada para as 18h, começou com 41 minutos de atraso e com apenas cinco dos 12 vereadores. O vereador Luiz Geraldo abriu a sessão e disse que, por falta de quórum, iria suspendê-la por 15 minutos.

Os servidores que lotavam o plenário e mantinham um carro de som na porta da Câmara com o restante dos manifestantes gritavam palavras de ordem e exigiam que a sessão recomeçasse para que fosse votada a LOA sem emendas, que, segundo os servidores prejudicam todo o funcionalismo de Cabo Frio.

— Aprovamos o projeto original há alguns meses, e agora os vereadores querem fazer emendas que modificam o orçamento e prejudicam os salários dos servidores. Por isso, vamos entrar em greve — disse Olney Vianna, presidente do sindicato dos Servidores Municipais de Cabo Frio.

Às 19h, o presidente vereador Silas Bento recomeçou a sessão com 11 vereadores. Na pauta, a Emenda Modificativa número 004/2012 assinada pela maioria dos vereadores. Já no assunto, apenas o que dispõe sobre Emenda Modificativa a dispositiva da LOA para o exercício de 2013. Mais uma vez os servidores se manifestaram e exigiram explicação detalhada da pauta uma vez que ninguém sabia o que continha no projeto.

— Até agora ninguém sabe de nada. Eles vão ler apenas o começo e aprovar. Pedimos anulação geral da sessão senão vamos para a justiça — gritou Olney Vianna, sendo aplaudido.

O presidente Silas Bento passou então a ler na íntegra todos os itens. Tentou desistir alegando que eram apenas muitos números. Mas diante da manifestação continuou. Foi interrompido pelo presidente do sindicato, que lembrou que falta a parte do detalhamento que trata exatamente da despesa com pessoal e o percentual determinado pela Lei de Responsabilidade fiscal LRF.

— Onde está, senhor presidente, a parte principal da LOA? — questionaram os servidores.

O presidente suspendeu a sessão por mais dez minutos. Na volta, abriu os trabalhos e disse que atenderia a reivindicação e convocou nova sessão extraordinária para as 10h de sexta-feira.

— Realmente “esqueceram” uma página no projeto, e é importante porque trata da folha de pagamento dos servidores. Por isso, vamos recomeçar na sexta com a página que falta incluída.

Ele foi vaiado demoradamente. A sessão, encerrada. Na calçada da Câmara, os servidores decidiram entrar em greve e fazer vigília a partida 8h da manha de sexta-feira. Oito carros da Polícia Militar e cinco da Guarda Municipal faziam a segurança do local

Um comentário:

  1. Esse sindicato não tem site? Caso tenha, qual é????

    ResponderExcluir